Os negócios da comunidade LGBTI não param de crescer

Créditos da foto: Luís Barra

Os negócios da comunidade LGBTI não param de crescer

Veja a fotografia de Hugo Palos Pires com o seu marido, Bruno Malveiro. Ele está de long sleeve preta e sorriso na cara, naturalmente contente por poder mostrar a mais uns milhares de pessoas um par de cuecas da marca Much underwear, que ambos criaram há dois anos e meio a pensar no público gay. Pedimos-lhe isto, caro leitor, porque ver a cara das pessoas ajuda a fixar o que dizem, e aquilo que Hugo diz merece ser recordado: “Segregação? Eu acredito na congregação.”

As cuecas da Much são fabricadas no Norte de Portugal e vendem-se online (85% para o estrangeiro). Os prémios atribuídos por blogues internacionais têm ajudado o negócio, mas as parcerias podem ser uma maneira de fazer crescer ainda mais as vendas que nunca pararam de aumentar. Se pensarmos que uma congregação é um grupo de pessoas reunidas para um determinado propósito ou actividade, então a Variações vai dar muito que fazer à fábrica em Santo Tirso onde são feitas. Trata-se da Associação de Comércio e Turismo LGBTI de Portugal, apresentada formalmente a 11 de Janeiro.

 

Lê mais sobre os negócios da comunidade LGBTI neste artigo da Rosa Ruela para a revista Visão

Foto: Luís Barra