Economia. Variações quer promover Portugal pelo mundo LGBTI

Economia. Variações quer promover Portugal pelo mundo LGBTI

“De acordo com Diogo Vieira da Silva, “a Organização Mundial de Turismo diz também que 10% do turismo mundial é feito por turistas LGBT, que representam 25% da facturação, o que demonstra que são turistas que gastam mais ” e que este tipo de turistas “tem tendência para escolher destinos ou aproveitar destinos que se assumem como gay friendly, ou LGBT friendly”.

O responsável garante que “Portugal não está a aproveitar como devia” e daí a criação da Variações, para que “tanto o setor público como privados olhem para esta dinâmica de turismo e, agora que finalmente Portugal está a entrar nos roteiros, que pelo menos haja uma estruturação e uma estratégia comum entre entidades públicas e privadas para dar resposta a este tipo de turismo”.

Risco de ineficiência Ao i, o director executivo da Variações salienta que “ou Portugal tem uma estratégia para este segmento de mercado, como tem para outro tipo de turismo, como o rural ou o do ambiente”, ou há “o risco de uma ineficiência na forma como apresentamos os nossos produtos e quando recebemos mais turistas”.

Segundo Diogo Vieira da Silva, este tipo de associação “já existe há 30 anos em França, há 15 ou 20 em Espanha e com grande sucesso”. “Basta ir a Madrid”, afiança. A associação LGBT de Madrid é uma das “coorganizadoras de um dos maiores eventos da cidade, que é o Pride Madrid, que atrai mais de dois milhões de pessoas todos os anos à cidade e que tem um encaixe económico e financeiro enorme” para a capital espanhola.”

 

Lê o artigo completo de Magalhães Afonso no jornal i